5ª Alguns Símbolos
5ª Alguns Símbolos

Pérola

É considerado um símbolo do feminino. Em Alquimia, essa palavra é usada para designar a substância semelhante a prata que é contraposta à substância masculina, o ouro. As pérolas maceradas eram usadas como elixir da longa vida ou da imortalidade.

Prepúcio

 

null

Os dogons e os bambaras de Mali acreditam que todos os seres nascem com duas almas de sexo oposto. O prepúcio seria a manifesteção da alma fêmea do homem. Daí surgiu a circuncisão que confirma o polo masculino do homem.

Prata

 

prata.jpg

Em contraste com o ouro (masculino) a prata é geralmente vista como o um símbolo da feminilidade. A prata, muitas vezes, representa a lua, a virgindade, a pureza, a rainha. O ponto culminante deste símbolo pode ser visto na deusa grega Artemis, irmã gêmea de Apolo, o deus do sol. Ela foi uma das poucas deusas virgens, a lua era o seu símbolo, e ela caçava com arco e flecha de prata.

Quadrado

 

quadrado.jpg

É um símbolo da matéria, do corpo e da realidade terrena.

Sangue

É considerado em todas as mitologias como um elemento masculino. Na alquimia, traz o simbolismo da prima-matéria que sofre transformação uma vez que exprime a cobiça desenfreada que costuma afogar a pessoa em seu próprio excesso. O sapo quando morre, fica negro e entra em estado de putrefacão, enchendo-se de seu próprio veneno. O alquimista submetia entÔo essa carcaça ao fogo do processo alquímico até transformá-lo num elixir capaz de matar ou salvar o indivíduo.

Sêmem

 

null

Nos rituais dos essênios, o Sêmem era considerado como símbolo do corpo de Cristo, num simbolismo ritual, tanto que entre os dessa cultura, o sêmen do eleito era usado em rituais de iniciação ou de batismo além de ser considerado com poderes nos processos de cura, através da unção. É um símbolo da fôrça da vida.

Suástica

 

Encontra-se este símbolo gráfico em quase todas as culturas antigas e primitivas do mundo ? nas catacumbas cristãs, na Bretanha, Irlanda, em Micenas e na Gasconha; entre os etruscos, os hindus, os celtas e germânicos; na Ásia Central e em toda a América pré-colombiana. Existem dois tipos fundamentais de suástica: aquela cujos braços apontam para a direita (masculina) e outra contrária (feminina), significando respectivamente o impulso cósmico evolutivo e involutivo. Simbolicamente, a suástica representa a condição cósmica de contínuo movimento; é emblema do ?fogo divino?: a energia criadora que constrói os mundos e a chave para o ciclo da ciência humana e divina. Trata-se de um símbolo de natureza claramente solar. Estudiosos como Ludwig Müller afirmam que ela representava a suprema divindade durante o período da Idade do Ferro. Na Idade Média, a interpretação mais geral de sua simbologia estava relacionada com o movimento e com o poder do Sol. Na primeira metade deste século, o nazismo alemão utilizou a suástica negativa (feminina) como símbolo máximo, alterando, além disso, a sua posição normal, fazendo com que uma de suas pontas apontasse para baixo. Segundo especialistas, tal atitude correspondia a um desejo de utilizar, em termos de magia negra, o poder cósmico contido nesse símbolo.

Unha

 

De acordo com a teoria da magia, quem estiver de posse de unhas humanas pode exercer influência sobre a pessoa em questão, uma vez que ela pode ser usada em sortilégios maléficos.

Unicórnio

 

O unicórnio é uma criatura lendária, um cavalo com um chifre em espiral. Pode ser o símbolo feminino em oposição ao leão como símbolo masculino. Na história grega, em que foi dito que o chifre possuía poderes de cura, o unicórnio tornou-se um símbolo de pureza e força, e ele poderia ser pego apenas com a ajuda de uma virgem. É um emblema de virtudes morais.

la

 

vela.jpg

É o símbolo da luz resultante de uma atitude compreensiva, a clareza da mente que se abre para penetrar no inconsciente e o fertilizar. 

Símbolo de vida ascendente, a vela é a alma dos aniversários. Tantas são as velas, tantos são os anos, e da mesma forma, tantas são as etapas no caminho da perfeição e da felicidade. 

As velas que se encontram no pé dos defuntos simbolizam a luz da alma em sua força ascensional, a pureza do espirito que sobe aos céus.

Dragão

 

dragao.jpg

O dragão é um símbolo altamente complexo, combinando imagens da serpente e do pássaro, duas imagens carregadas de forma isolada. Juntos, eles formam um dos monstros mais poderosos que remonta à antiguidade. O dragão é um símbolo do mal, tanto nas tradições de cavalaria como na cristã. No Oriente, ele simboliza o poder sobrenatural, sabedoria, força e conhecimento oculto. Na maioria das tradições, é a personificação do caos e da natureza selvagem. É associado com as profundezas do mar desconhecido, com os topos das montanhas, e com as nuvens. Heróis lutam ("matar") com dragões para ganhar controle sobre o território; dragões também são geralmente guardiões de um tesouro, seja ele material (como o ouro) ou simbólico (como o conhecimento). Matar o dragão é o conflito entre a luz e a escuridão, eliminando as forças do mal. Tem muitas correspondências: na psicologia é um medo de incesto, ou o caos do inconsciente, o mal. Por outro lado, sangue de dragão é um talismã, assegurando boa sorte, saúde e sorte, podem infligir feridas incuráveis ​​se as armas são mergulhadas nela.

 

Free Translation Widget

Rating: 3.1/5 (458 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



Imagem